sábado, 17 de janeiro de 2009

O Snoopy

Aconteceu numa tarde, o que vou relatar abaixo.

Eu devia ter uns 6 anos e como toda crianca vinda de uma familia de classe media, eu tinha muitos brinquedos, especialmente bichinhos de pelucia - devia ter mais de 20. Estava com a mae em casa. Nos ainda moravamos no apartamento da Bento, em Porto Alegre, naquela epoca em que os apartamentos nao tinham porteiros e entrava quem quizesse, na hora que desse na telha, entao havia muita gente batendo na nossa porta, sempre. Naquele dia uma familia bateu em casa. Eu lembro de um pai pedindo comida, e dela, eu lembro dela. Ela devia ter a mesma idade que eu na epoca, era magrinha, franzina. Tinha olhos grandes e curiosos, que, nos segundos os quais minha mae deixou a porta entreaberta, correram toda nossa sala se demorando nos meus brinquedos. A mae, coracao bom que era, ajeitou um prato, umas bolachas, um litro de leite e entregou pro homem. A familia, agradecida, foi embora. Fecha porta.

De todos os brinquedos que eu tinha, o meu favorito era um Snoopy. Sei eu (?) quem me deu, so sei que amava aquele cachorro. Vivia grudada nele, dormia com ele, fazia planos com ele, criancas, sabe? Nos segundos que se sucederam, apos aquela familia ter ido embora, nao sei o que aconteceu com minha pequena mente infantil, mas algo me chacoalhou. Acho que nao foi a familia toda... acho que foi ela. O olhar dela, sim, foi isso que me tocou. Aquele olhar de fome, de querer sem poder. Acho que fiquei com pena... pedi pra minha mae chamar aquela menininha devolta e entreguei nas pequenas maozinhas o meu bem mais precisoso, meu Snoopy.

Lembro que ela me olhou - com olhos grandes e curiosos - me agradeceu, virou as costas e foi embora. Porta se fecha, denovo.

Minha mae me abracou, disse que o que eu tinha feito tinha sido um gesto muito bonito, que estava orgulhosa de mim. E naquela hora, so o que eu conseguia pensar era: 'o que que eu fiz? quero meu snoopy devolta!'

Quase (ou mais) de vinte anos se passaram e eu ainda lembro daquela historia com um misto de orgulho pela crianca que fui, e de dor por ter dado o meu (porque logo aquele, de todos os que eu tinha?) bichinho favorito. As razoes? Nem Freud explica.

Bom, a historia acima foi minha introducao, pra curta historia abaixo... na verdade, pra se entender a importancia da historia abaixo, tinha que se saber a historia acima.

Hoje a noite, depois da janta, a Anna disse no meu ouvido: -Julie, before you go to bed, look for a surprise in your pillow!' (Julie, antes de voce ir pra cama, procura uma surpresa no seu travesseiro). Entrei no meu quarto achando que seria um desenho, apenas outro dos tantos que recebi da baixinha, mas pra minha surpresa ali estava um Snoopy! Igualzinho ao que eu tive, so que em miniatura. Sei la o que me deu na hora, se era pra tirar alguma licao, se era pra chorar... mas eu fiquei ali, parada, lembrando da crianca que fui, das coisas que fiz, pensando na crianca que a Anna ainda é, e no gesto que tinha acabado de fazer - e eu conheco a pequena o suficiente pra saber o quao dificil foi pra ela ter dado um dos 97 bichinhos de pelucia que tem.

Eu fiquei ali pensando, matutando, que no final das contas, vale a pena ser boa. Que se apegar ao material nao ta com nada. Que um dia, cedo ou tarde, a vida se encarrega de te trazer de volta as coisas perdidas.

Mas mais importante que tudo isso? Aprendi que, nao importa o quanto voce ainda pense no seu passado, nada vai muda-lo. Mas o seu futuro, esse ainda vai te ensinar grandes licoes.

E so hoje eu realmente entendi o que me moveu a dar meu brinquedo favorito a uma desconhecida. Uma desconhecida de olhos grandes e curiosos.

Aconteceu numa tarde.

3 comentários:

Ígor Maciel disse...

uauuu... =)

O gesto da Anna é até compreensível, pois sei o quanto ela te ama de paixão!

Mas o mais bonito foi a tua ação, e o mais interessante foi que Deus deu as voltas necessárias para te compensar por um gesto MARAVILHOSO.

Parabéns pelo gesto que, há 20 e poucos anos atrás, somou qualidades à tua personalidade e mais do que isso, engrandeceram o teu espírito!

marcio disse...

eu AMO snoopy e todo mundo do mundo peanuts - principalmente linus e, claro, o próprio charlie brown!

Giovanna Borgh disse...

oie.
encontrei seu blog no http://daniellaaraujo.blogspot.com/ e achei bem legal. simples e introspectivo. Adicionei nos meus favoritos, ok?

até a próxima visita.